Nacionalização dos bens do clero francês

03/12/2019 10:39

Os problemas financeiros enfrentados pela França, durante sua revolução, levaram à nacionalização dos bem do clero. A medida foi proposta na Assembleia Constituinte por Telleyrand, bispo de Autun (Comunidade francesa), que sugeriu expropriar os bens eclesiásticos e declará-los bens nacionais. Com sua venda, achavam que resolveriam os problemas econômicos do Estado. Os serviços públicos sob responsabilidade da Igreja foram transferidos para o Estado; os sacerdotes recebiam salário do governo, como qualquer outro funcionário. A venda dos bens nacionalizados começou em março de 1790, com a transferência de uma grande quantidade de terras, que foram compradas por burgueses e camponeses. Dessa maneira, assegurou-se também a fidelidade desses grupos à revolução francesa.

History

visitas

Coluna

A cidade de Diadema, por força do contexto nacional, resolveu unilateralmente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) suspender o isolamento social para algumas atividades econômicas. Contudo, a justiça suspendeu a deliberação do prefeito, fazendo valer a decisão do Governo do Estado....
Para a economista da Universidade Johns Hopkins, ministro Paulo Guedes está preso a dogmas ideológicos e mantém letargia para tomar decisões que afetam quem já está passando fome “E, para os defensores da calma e da serenidade, saibam: o momento é de urgência”, escreve a economista brasileira...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Contato

Herbert Schutzer schutzer@hschutzer.com.br