Artista restaura cor de brasileiros fotografados às vésperas da abolição

Nada se sabe sobre o homem de cabelos grisalhos e olhar triste na foto acima, retratado pelo fotógrafo alemão Alberto Henschel no Brasil por volta de 1869, alguns anos antes da Lei Áurea. A legenda do retrato original, à esquerda, diz apenas "tipos negros".

O retrato à direita foi restaurado e colorido pela artista brasileira Marina Amaral e é uma das 22 fotografias que a artista está recuperando para sua série "Escravidão no Brasil".

"Quando a gente olha para os números e para a escala enorme do que foi a escravidão, fica tudo meio abstrato. Mas quando consegue olhar para as pessoas... Ver cada rosto deixa tudo menos abstrato, cria uma conexão", disse à BBC News Brasil.

A mineira de 25 anos é artista digital especializada em colorir fotos antigas em preto e branco – ficou conhecida mundialmente por dar cor a fotos das vítimas dos campos de concentração de Auschwitz. Ela diz que sempre teve vontade de criar um projeto sobre história do Brasil, mas tinha dificuldade de encontrar um arquivo que tivesse fotos em alta resolução.

"Até descobrir esses 22 retratos através de uma biblioteca de Berlim", diz ela à BBC News Brasil. Encontrar fotografias de escravos do século 19 é algo raro. Nas poucas vezes em que eram retratatos, era como parte da propriedade de algum grande senhor de escravos.

Leia mais: BBC Brasil

visitas

Coluna

A cidade de Diadema, por força do contexto nacional, resolveu unilateralmente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) suspender o isolamento social para algumas atividades econômicas. Contudo, a justiça suspendeu a deliberação do prefeito, fazendo valer a decisão do Governo do Estado....
Para a economista da Universidade Johns Hopkins, ministro Paulo Guedes está preso a dogmas ideológicos e mantém letargia para tomar decisões que afetam quem já está passando fome “E, para os defensores da calma e da serenidade, saibam: o momento é de urgência”, escreve a economista brasileira...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Contato

Herbert Schutzer schutzer@hschutzer.com.br