Resistência: Em greve há quase um mês, estudantes da UFSC lutam contra medidas do governo Bolsonaro

A motivação para o movimento foi o anúncio do programa Future-se e os bloqueios nas verbas das universidades públicas feitos pelo Ministério da Educação

Com o objetivo de resistir aos ataques do governo de Jair Bolsonaro à educação e combater as medidas nefastas anunciadas pelo ministro Abraham Weintraub para o setor, os alunos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) decidiram entrar em greve. A paralisação começou, oficialmente, no dia 10 de setembro.

“A motivação foi a oficialização do programa Future-se, anunciado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, junto com os bloqueios que já estavam ocorrendo nas verbas das universidades públicas”, explica Leonardo Regis, estudante do curso e Economia na UFSC.

Ele conta que, após as medidas do governo, a reitoria começou a emitir comunicados, falando abertamente sobre o risco de a universidade fechar ou de interromper serviços básicos, com o corte nas verbas.

Leia mais: Revista Fórum

visitas

Coluna

A cidade de Diadema, por força do contexto nacional, resolveu unilateralmente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) suspender o isolamento social para algumas atividades econômicas. Contudo, a justiça suspendeu a deliberação do prefeito, fazendo valer a decisão do Governo do Estado....
Para a economista da Universidade Johns Hopkins, ministro Paulo Guedes está preso a dogmas ideológicos e mantém letargia para tomar decisões que afetam quem já está passando fome “E, para os defensores da calma e da serenidade, saibam: o momento é de urgência”, escreve a economista brasileira...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Contato

Herbert Schutzer schutzer@hschutzer.com.br