Secretário de Doria sobre escolas cívico-militares: “É difícil aderir a um programa que você não sabe o que é”

A secretaria considera que não está claro quem vai gerir a escola —se os militares ou a secretaria—, quem mandará neles e que papel exercerão nos colégios

É difícil aderir a um programa que você não sabe o que é. Nos deixa absolutamente em dúvida”. Com esta frase, o secretário de Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares da Silva, enviou um ofício com 23 perguntas ao Ministério da Educação tentando esclarecer os termos do programa de escolas cívico-militares.

O estado não aderiu até agora ao projeto. O prazo de adesão definido pelo MEC era até a sexta-feira (27). Além de enviar as perguntas, a secretaria paulista pediu novo prazo para estudar melhor o projeto. O ministério ainda não respondeu.

A proposta de implantação das escolas cívico-militares é uma das principais do governo de Jair Bolsonaro para a educação.

A secretaria considera que não está claro quem vai gerir a escola —se os militares ou a secretaria—, quem mandará neles e que papel exercerão nos colégios.

Leia mais: Revista Fórum

contador gratuito de visitas

Coluna

A um ano das eleições municipais vivencia-se no ABCD uma descrença na política municipal, devido a imagem dos políticos e da política agravada pela longa fase de denúncias que a “Operação Lava Jato” implantou no país, que terminam por afastar os munícipes qualificados da atuação política. Qual o...
A região foi impactada neste mês de setembro com a denúncia da Polícia Federal do mau uso do dinheiro público em São Bernardo do Campo, indiciando o prefeito por corrupção passiva e fraudes em licitações. A denúncia pode afetar a governabilidade municipal? Isso é o que interessa para o cidadão,...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Contato

Herbert Schutzer schutzer@hschutzer.com.br