Secretário de Doria sobre escolas cívico-militares: “É difícil aderir a um programa que você não sabe o que é”

A secretaria considera que não está claro quem vai gerir a escola —se os militares ou a secretaria—, quem mandará neles e que papel exercerão nos colégios

É difícil aderir a um programa que você não sabe o que é. Nos deixa absolutamente em dúvida”. Com esta frase, o secretário de Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares da Silva, enviou um ofício com 23 perguntas ao Ministério da Educação tentando esclarecer os termos do programa de escolas cívico-militares.

O estado não aderiu até agora ao projeto. O prazo de adesão definido pelo MEC era até a sexta-feira (27). Além de enviar as perguntas, a secretaria paulista pediu novo prazo para estudar melhor o projeto. O ministério ainda não respondeu.

A proposta de implantação das escolas cívico-militares é uma das principais do governo de Jair Bolsonaro para a educação.

A secretaria considera que não está claro quem vai gerir a escola —se os militares ou a secretaria—, quem mandará neles e que papel exercerão nos colégios.

Leia mais: Revista Fórum

visitas

Coluna

A cidade de Diadema, por força do contexto nacional, resolveu unilateralmente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) suspender o isolamento social para algumas atividades econômicas. Contudo, a justiça suspendeu a deliberação do prefeito, fazendo valer a decisão do Governo do Estado....
Para a economista da Universidade Johns Hopkins, ministro Paulo Guedes está preso a dogmas ideológicos e mantém letargia para tomar decisões que afetam quem já está passando fome “E, para os defensores da calma e da serenidade, saibam: o momento é de urgência”, escreve a economista brasileira...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Contato

Herbert Schutzer schutzer@hschutzer.com.br